Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Perseguição reprova árbitro em teste físico Sergipano

O perseguido:

Este é Gabriel Maciel Gusmão Menezes, ele é solteiro, tem 18 anos e cursa Administração na Universidade Federal de Sergipe. Fez o curso de árbitro em 2010, admira os instrutores Valmir Oliveira no seu estado e o paulista Roberto Perassi no Brasil. Gabriel também admira o árbitro do Rogério Lima da Rocha e o assistente Cleriston Clay Barreto Rios, os melhores no seu estado segundo sua visão. A nível Nacional, ele admira o gaúcho Leandro Pedro Vuaden.

Gabriel esta dentro do perfil dos novos valores da arbitragem brasileira que está sendo garimpado nos quatro cantos do país. Jovem, estudado e com talento. Porém, ele já esta conhecendo o lado obscuro da arbitragem, sentindo na pele a mão pesada dos tiranos que comandam a arbitragem e isso infelizmente não é exclusividade do seu estado, como um câncer, os tiranos estão enraizados em 90% das comissões de arbitragens do Brasil. Este jovem está sofrendo e pagando caro por ter dado uma opinião que contraria os poderosos dirigentes do seu estado. O seu crime fatal foi ter afirmado em uma matéria do site apitonacional que qualquer estádio do interior de Sergipe seria o menos seguro para se arbitrar uma partida de futebol.

Esta perseguição só terá um fim em duas hipóteses:

1ª: Gabriel sucumbe as pressões, perseguições e abandona a arbitragem.

2º: Todos os árbitros tomando coragem, se rovoltando e exigindo tratamentos iguais para todos, pois os gabrieis de amanhã poderá ser qualquer um deles. (chance nula, pois como bois no cercado, os árbitros são massa de manobra para esses tiranos).

A perseguição:

No último dia 03 de junho do presente ano, houve teste físico para árbitros do estado de Sergipe, fontes presente neste teste informaram este Blogueiro que armaram descaradamente contra o jovem Gabriel Maciel. Segundo esta fonte, quando o mesmo estava realizando os tiros de 150 metros, um membro da comissão de arbitragem simplesmente disse: “Gabriel perdeu o tiro, cartão amarelo pra ele”. O problema segundo essa fonte é que Gabriel não havia perdido o tiro e com isso, se desnorteou, sentiu a pressão e abandonou o teste no 15º tiro saindo chorando da pista.

Segundo esta fonte, o ocorrido foi mais uma prova da perseguição em cima do jovem árbitro, sendo que o mesmo não vem mais sendo escalado e caiu em desgraça após o comentário de que os estádios Sergipanos são inseguros.

Os perseguidores:

A insatisfação com a comissão de arbitragem sergipana comandada por Marcony Cabral (na foto ao lado com Ivaney) é notória, 90% dos árbitros de Sergipe não aceitam e não confiam nos dirigentes, mas todos têm que dizer amem e que são a favor senão serão afastados e perseguidos como o caso relatado acima. Segundo as informações, somente três árbitros apóiam a CEAF, que são Thaislane Melo, Eliziane Durães e Ivaney Alves (a dupla Cecília e Rodolfo).

Ivaney Alves de Lima, que além de assistente que se auto escala é presidente de uma associação de árbitros fantasma perante a arbitragem (não é reconhecida pela Anaf), que da apoio integral a essas perseguições ao se calar e não defender um associados contra a tirania da FSF.

Frase: "O tirano morre e o seu reinado termina, o mártir morre e o seu reinado começa". (Soren Kierkegaard)

5 comentários:

Liug disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marçal disse...

Olá amigo,

Você me encontar no: apitonacional@apitonacional.com.br

Estou a sua disposição.

Um forte abraço.

Marçal

Liug disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marçal disse...

Não amigo!

Só no e-mail.

Abs,

Marçal

João Jácome disse...

Infelizmente os maiores covardes da arbitragem, estão dentro da própria arbitragem brasileira, pois se todos os árbitros se unissem, ninguém poderia conosco,seus colegas de Sergipe são todos covardes caro Gabriel, mais não desista continua lutando, não há vitória sem luta, siga em frente!!