Pesquisar este blog

sexta-feira, 21 de setembro de 2018


Veteranos na final da Série C do Brasileiro

CA-CBF aposta na experiência para manter emprego em vez de dar oportunidades para novos árbitros

Marcelo Henrique - Crédito: Getty images

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) designou o árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique, 47 anos, para comandar a final da Série C do Campeonato Brasileiro entre Cuiabá e Operário (PR). A decisão será neste sábado (22), às 18h, na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT. Outros dois veteranos, Michael Correia 38 anos e Silbert Faria Sisquim, 44 anos, serão os assistentes enquanto o também veterano, Rodrigo Nunes de Sá, 39 anos, será o quarto árbitro.

A escala certamente será mais uma para o quarteto tendo em vista a enorme quantidade de jogos muito mais importante que este que eles já trabalharam ao longo da carreira, mas seria oportunidade de ouro para muitos jovens árbitros com potencial do quadro nacional ganhar experiências para se firmarem cada vez mais na função e se tornarem referencia da profissão no futuro.

A entidade repete o que já tinha feito na Série D quando escalou um outro veterano, Leandro Vuaden, 43 anos, no confronto final entre Treze-PB e Ferroviário-CE e voltou a escalar na partida de ida da final da C que terminou empatada em 3 a 3 e em grande pancadaria entre os jogadores.

O conservadorismo nas escalas das finais é uma marca registrada do atual presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, Cel. Marinho, que durante uma década dirigindo a arbitragem paulista usava do mesmo expediente escalando árbitros FIFA nas finais das divisões inferiores como Série A2, A3 e segunda divisão.

Crédito: FERJ

Militar de formação - foi durante muitos anos comandante da tropa de choque da PM Paulista -, Marinho agarra com unhas e dentes o cargo e o alto salario da função que lhe caiu no colo não correndo nenhum risco que traria repercussão negativa como uma eventual má arbitragem de um jovem em uma final. Escalando um árbitro experiente em partidas de muita repercussão, o comandante entende que se houverem erros, eles serão creditados nas costas do árbitro e não nas dele caso tivesse ousado e escalado uma jovem promessa. Com esse pensamento São Paulo perdeu uma década e a arbitragem brasileira vai no mesmo caminho, ou seja, envelhecendo como a paulista onde todos os árbitros da elite estão próximos ou acima dos quarenta anos.

Em breve, pela lei da natureza e não tem como lutar contra, os ‘Marcelos, os Vuadens, os Jailsons’, que estão sendo sugados como laranja, encerrarão a carreira, substituirão o apito pelas bengalas e não teremos árbitros experientes para os jogos mais importantes, pois nossos jovens não são escalados por covardia e medo do Cel. em perder o emprego!

Leandro Vuaden, 43 anos, foi o árbitro da final da Série D - Crédito: César Greco

Obs. Antes que os patrulheiros de plantão venham criticar, quero deixar bem claro que não estou aqui criticando a escala dos 'veteranos' e sim por não serem dado oportunidades para novos árbitros. Também não estou questionando as qualidades do Vuaden, do Marcelo, ou até mesmo dizendo que os veteranos não possam apitar. Pelo contrario, os dois foram e ainda estão entre os melhores que vi atuar e tenho certeza que eles têm ainda muito que nos brindar com suas qualidades técnicas excepcionais dentro de campo. 

O que estou dizendo é que aos poucos tem que preparar os mais novos para quando chegar a hora deles, terém experiências necessárias para substituírem os veteranos com qualidade. Essa experiência eles só vão adquirir apitando jogos importantes e finais de divisões inferiores, mas isso lamentavelmente não é levado em consideração por covardia da maioria esmagadora dos dirigentes do apito!

Abaixo a escala completa da final da série C.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Quadro FIFA 2019, CBF x FPF quem leva a melhor?

Teste físico iniciou especulações para lista internacional da próxima temporada


Crédito: CBF

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) realizou na última quinta-feira (30), testes físicos com os árbitros do quadro internacional visando à temporada 2019. As atividades ocorreram no CEAR (Centro Esportivo de Alto Rendimento) em Campinas/SP.

Como ocorre toda temporada nessa época do ano, mês em que a lista com os nomes dos árbitros internacionais é enviada a FIFA, logo após as atividades no interior paulista começaram as especulações sobre a permanência ou alteração na lista do próximo ano. Desta vez, as especulações são por conta da idade limite de 45 anos estipulada pelo regimento interno da Federação Paulista de Futebol, contrariando, inclusive, permissões das entidades máximas do futebol mundial e nacional que passaram a não ter limite na idade, no caso da FIFA e de 50 anos pela CBF.

Nos testes dos assistentes do quadro FIFA, a novidade mais comentada foi a presença do paulista Alex Ang Ribeiro de 34 anos (08/01/1984), cotado para substituir o paulista Emerson Augusto de Carvalho, que estourou a idade limite. Ang que é um dos principais assistentes de São Paulo tendo feito parte do melhor trio de arbitragem do Paulistão 2015 ao lado do próprio Emerson Carvalho e terceiro em 2017, tem dez anos de carreira e vem participando dos cursos internacionais da Conmebol que o credencia para promoção ao quadro internacional.


Alex Ang Ribeiro - Crédito Dol

Outro fator que deve ser levado em consideração é Alex Ribeiro ser militar, assim como Cel. Marinho, seu antigo chefe em São Paulo e atual na CBF. Alex é Capitão PM lotado no 2º BPTran que atua na zona leste de São Paulo.

Já Emerson Carvalho, pelas atuais normas da FPF em relação à idade, não poderá trabalhar no próximo ano pelo Estado de São Paulo, sendo substituído por um novo profissional paulista. Mas como é um excelente profissional terá alternativa de migrar para outra federação visando sua permanência no quadro. Com certeza convites não faltarão, inclusive já teria ocorrido de uma federação do sul do país, cuja arbitragem é agora comandada por um ex-sindicalista, que quer mesclar experiência com os jovens valores que vem lançando nos últimos dois anos. Também faria parte do pacote deste dirigente o árbitro Marcelo Aparecido que se encontra na mesma situação que Emerson Carvalho.

Emerson Carvalho
Se o teste foi para a temporada 2019 como notificou a Confederação Brasileira de Futebol, o fato de Emerson Augusto ter realizado o mesmo é porque pretende continuar atuando. Já o único novato a fazer o teste por São Paulo, Alex Ribeiro, busca uma chance de ostentar no peito o escudo FIFA. 

Mas os bastidores fervem e como sabemos a briga pelo escudo será entre gigantes, pois os recentes posicionamentos da cúpula da FPF com a CBF poderão influenciar nas indicações para a lista FIFA 2019. O racha ocorreu principalmente em relação às eleições nas duas casas, quando Reinaldo Carneiro foi oposição à eleição de Rogério Caboclo, escolhido por  Marco Polo Del Nero que como retaliação apoiou o movimento de pequenos clubes denominado "Movimento Renovação do Futebol Paulista" para bater chapa na eleição da Federação Paulista de Futebol.

A eleição em São Paulo ocorreu no dia 30 de agosto, Marco Chedid, presidente do Bragantino e líder do movimento retirou a candidatura, Reinaldo Bastos foi reeleito, mas ficaram magoas que pode interferir em vários assuntos comuns das duas entidades e a indicação dos FIFAs pode ser uma delas.

Neste cenário a pergunta que fica é: caso a FPF mantenha sua posição inicial e Emerson Augusto tenha mesmo que migrar para outro estado para continuar atuando, levará o escudo com ele ou a CEAF/CBF vai manter o escudo em São Paulo? Essa resposta só saberemos quando for divulgada a relação provavelmente em dezembro.

sábado, 25 de agosto de 2018


Ex-árbitro FIFA intermedia patrocínio de 50 milhões entre CBF e Hidrelétrica Itaipu

Com acordo, Sandro Meira Ricci, funcionário da estatal binacional, assumiria Comissão Nacional de Arbitragem

Comitiva da CBF se reúne com direção da Itaipu - Crédito: Nilton Rolin/Itaipu

Há tempos atrás revelei que o ex-árbitro Sandro Meira Ricci tinha como projeto de carreira na arbitragem apitar uma Copa do Mundo e quando pendurasse o apito ocupar a presidência da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, hoje comandada pelo paulista Marco Cabral Marinho. Não posso negar que seu plano foi executado com maestria, pois mesmo sendo ruim de apito, mas bom de bastidores e politica, conseguiu atuar em duas Copa do Mundo, o que não é para qualquer um. Faltava a cereja do bolo, ou seja, a comissão nacional de arbitragem. Faltava, mas agora não falta mais, é apenas questão de tempo e explico abaixo a jogada de mestre executada nos bastidores, pela qual o parabenizo e tiro o chapéu!

Na ultima quarta-feira (22), uma comitiva da CBF esteve visitando a Hidrelétrica binacional de Itaipu, no Paraná, para onde Ricci foi transferido estrategicamente no inicio deste ano. Fizeram parte do grupo o atual presidente Antônio Carlos Nunes e o secretário-geral da CBF, Walter Feldman. Além de Nunes e Feldman, estiveram presentes o ex-jogador da Seleção Brasileira, Branco; o representante do Ministério do Meio Ambiente, Jair Júnior; o secretário-geral do Fundo Iguaçu, Ênio Eidt; o gerente de desenvolvimento técnico, responsabilidade social e sustentabilidade da CBF, Diogo Netto; e Carlos Painel, consultor de sustentabilidade da CBF. 

Eles visitaram as dependências da usina que abastece Brasil e Paraguai de energia e se reuniram com o diretor geral brasileiro da Itaipu, Marcos Stamm, para discutir possíveis parcerias futuras. O assunto principal foi apoio ambiental a Copa Verde, mas entre os assuntos em debate esteve também um possível patrocínio nas camisas dos árbitros no valor de 50 milhões de reais em quatro anos de contrato. A soma milionária seria usada no desenvolvimento e valorização dos profissionais do apito com a implantação de uma gestão profissional com amplo apoio através de centro especializado exclusivo para os árbitros com médicos, fisioterapeutas, nutricionistas massagistas, psicólogos entre outros.
Foto CBF/montagem Divulgação
Sandro Ricci intermedia acordo milionário que envolve presidência da CA-CBF

A intermediação do patrocínio foi feita toda ela por Sandro Meira Ricci, que por se tratar de um funcionário da estatal e, até recentemente, prestador de serviços da CBF, não aparecerá diretamente no acordo. A única exigência feita pelo ex-FIFA em reunião com o futuro presidente da CBF, Rogério Caboclo, é  sua indicação para a presidência da Comissão Nacional de Arbitragem.

Não se sabe ainda quando o acordo passaria a valer, pois a estatal binacional substituirá a TCL, que tem acordo de patrocínio com a CBF até 2019.


Itaipu deve substituir TCL nas camisas dos árbitros - Crédito: Carlos Sambrana

Não conseguimos contatar Rogério Caboclo, Cel. Nunes e Walter Feldman. Já Sandro Ricci não fala com o Blog.

sábado, 18 de agosto de 2018


Renunciou a renuncia

Emanuel Diniz, é doando que se recebe - Crédito: Elefante Verde

Em se tratando de arbitragem, o estado da paraíba realmente não pode ser levado a sério. Não é sem motivos que os homens de preto daquele estado estão diariamente nas manchetes policiais por todo tipo de denuncias e desserviços à categoria.

Recentemente o futebol paraibano, a justiça desportiva e os árbitros, foram manchetes em todo território nacional e em vários países do mundo por conta da ‘Operação Carola’ (clique aqui) deflagrada pelo GAECO que culminou com a denuncia de dirigentes e árbitros à justiça comum por manipulação de resultados.

Na ultima quarta-feira (16), o atual presidente do sindicato dos árbitros, Emanuel Diniz, renunciou ao cargo para qual foi eleito em 2017 com mandato até meados de 2020 (leia). Segundo apurado, a decisão, comunicada via grupo de whatsapp, teria sido por conta da participação de Diniz na campanha de Jair Bolsonaro candidato a presidência da Republica. Emanuel Diniz é filiado ao partido PSC (Partido Social Cristão), o mesmo de Bolsonaro pelo qual já foi candidato a vereador em Campina Grande-PB não sendo eleito tendo apenas 0,56% dos votos dos eleitores. Caso o ‘Messias’ carioca vença a eleição, Diniz sonha ter um alto cargo em Brasília ligado a segurança publica tendo em vista que o mesmo é militar e muito próximo de Bolsonaro.


Mensagem de Emanuel Diniz se afastando do cargo

Outro provável motivo da renuncia seria em represália a atual composição da CEAF-PB que conta com o local José Clizaldo França e o paulista Arthur Alves Junior que o presidente entende como uma interferência desnecessária que não trará nenhum ganho para a arbitragem local por se tratar de uma pessoa sem o mínimo de conhecimento dos problemas da arbitragem paraibana. Segundo uma fonte na Paraíba, Emanuel Diniz tinha conhecimento de todas as falcatruas denunciadas pelo MP na arbitragem local, tendo inclusive organizado uma reunião com os árbitros do quadro da CBF em Campina Grande para tratar do assunto e possivelmente derrubar José Renato, antigo chefe do apito local, mas se calou pensando em sua carreira. 

Renunciou a renuncia
O que poderia ser uma novidade, mas por ser politico e árbitro do desacreditado quadro paraibano, já era esperado, na sexta-feira (17), Diniz renunciou a renuncia e na maior cara de pau disse a interlocutores que ‘falam demais’ ignorando seu comunicado anterior se afastando do cargo.

O Blog tentou falar com Emanuel Diniz, mas ele fugiu das perguntas assim como todo politico foge quando faz algo errado e não tem explicação. Mas apuramos que a renuncia da renuncia teria sido por pressão dos demais membros da diretoria, pois supostamente havia um acordo entre eles para só renunciar quando outros, que estão impedidos pela justiça, estivessem aptos a assumir o cargo não deixando que a entidade caísse nas mãos de opositores.

O episodio é lamentável e mostra o quanto os dirigentes só pensam neles mesmos, são frágeis e suscetíveis às pressões. Não cumprir com a palavra nem quando se escreve, como no caso da renuncia, já é algo corriqueiro e até esperado do politico Emanuel Diniz, mas não é comportamento esperado e nem se pode admitir de um representante de uma categoria tão desacreditada como a arbitragem que agoniza em busca da credibilidade .

Caso a renuncia fosse concretizada, ninguém sentiria a mínima falta de Diniz, pois todos sabem que ele é o presidente de direito de um sindicato supostamente falido, sem sede, sem conta em banco, sem CNPJ e que só existe politicamente, mas que de fato não passa de um fantoche nas mãos de um 'reizinho' quem manda de verdade, não só no sindicato, mas em boa parte da arbitragem paraibana!

Emanuel Diniz, caso queira, assim como todos que se sintam atingidos pela postagem, tem o espaço aqui reservado e garantido para se manifestarem.

quarta-feira, 18 de julho de 2018


 Eleições da Associação Nacional dos Árbitros será com chapa única
Chapa “Nossa ANAF é a gente que faz” encabeçada por Salmo Valentim terá Hélio Prado como primeiro vice


Conforme o calendário eleitoral da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), na ultima segunda-feira (16) encerrou o prazo para o registro das chapas para concorrerem à presidência e demais cargos da entidade. A chapa “Nossa ANAF é a gente que faz”, liderada pelo pernambucano Salmo Valentim, foi à única inscrita como já tínhamos previsto.

Obtive, com um presidente de sindicato, a lista do colégio eleitoral que trás revelações e algumas particularidades. Dos 625 associados que compõe o colégio eleitoral, somente 104 poderão votar, o que da algo próximo de 18%. Algumas particularidades chamam atenção, entre elas a de Jamir Carlos Garcez, atual primeiro vice da ANAF, que inclusive assumiu a presidência quando o atual presidente Marco Martins se licenciou para concorrer na ultima eleição para vereador em Florianópolis, não participara desta eleição por não estar em dia com suas contribuições sindicais.

O estado do Paraná, onde atua o árbitro que representou o Brasil na ultima Copa do Mundo, só terá um eleitor, a assistente Denise Akemi Simões de Oliveira. Enquanto isso, Rio Grande do Sul, um dos estados mais importante, só terá dois eleitores, o ex-presidente do sindicato dos árbitros (Carlos Castro) e o atual (Maicon Zuge). São Paulo, outro estado gigante da arbitragem brasileira, dono do maior quadro estadual, com árbitro campeão de premiações da CBF, só terá dos eleitores, Arthur Alves Junior e Sérgio Corrêa que vota como associado fundador.
Alex dos Santos (comissão eleitoral), Marco Martins e Salmo Valentim durante inscrição de chapa - Foto: ANAF
Dos 27 estados da federação, 23 contam com pelo menos um associados com direito a voto, como os estados de Sergipe (Ivaney Alves Lima) e Tocantins (Samuel Smith Nóbrega Silva). Por sua vez, os estados de Alagoas, Amazonas, Goias e Roraima não terão urnas de votação tendo em vista que nenhum associado poderá votar por não estar em dia perante a entidade nacional.

Se os estados citados acima não são bons exemplos por contar com árbitros que só pensam nas suas carreiras e no dinheiro que elas trazem sem ter nenhum compromisso com sua entidade de classe, o estado de Santa Catarina com 29 eleitores e Pernambuco com 18, merecem os aplausos deste Blog, pois lideram como maiores colégios eleitorais deste pleito. 

A eleição ocorrerá das 17 as 21 hs (horário local) no dia 30 deste mês em todos os estados do país. A

Assim será composta a nova diretoria da ANAF.

Presidente: Salmo Valentim da Silva (PE)
Tesoureiro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Secretario Geral: Arthur Alves Junior (SP)

Vices Regionais:
Norte: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA), 37 anos (27/02/1981), árbitro FIFA atuante.

Nordeste: Eveliny Pereira de Almeida da Silva (CE), 37 anos (20/06/1981), ex-árbitra FIFA.

Centro-Oeste: Fabio Rodrigo Rubinho (MT), 38 anos (27/12/1979), assistente CBF atuante.

Sudeste: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ), 49 anos (30/12/1968), ex-assistente FIFA.

Sul: Hélio Prado* (SC), 66 anos (01/01/1952), ex-assistente CBF.

Conselho fiscal efetivo:
Ronaldo André Bento (MG), João Lupato (MS) e João Thiago Carvalho Reis (PI).

Suplentes:
Charles dos Santos Brasil (AC), João Henrique Queiroz da Silva (RN), Ivaney Alves de Lima (SE).

Assessorias:
Assessora da Presidência: Érica Gonçalves Krauss (SC).
Administrativo e Patrimônio: João Gomes Jácome (AC).
Assuntos Internacionais: Rodrigo Martins Cintra (BA).
Assuntos Institucionais: Gleydson Ferreira Leite (PE).
Relações Sindicais: João Batista Lucas Correia (CE)
Presidente do Conselho de Ética: Carlos Augusto de Almeida Lima (AP).
Diretor de Ensino: Raimundo Nonato Lopo de Abreu (DF).
Diretor Jurídico: Wagner Rosa (RJ).
Departamento Feminino: Neuza Inês Bach (SC).

* O estatuto da ANAF define que o vice regional com mais idade assume a presidência da entidade em caso de impedimento do presidente ou vacância no poder, o que faz do catarinense Hélio Prado o primeiro sucessor em caso de  renuncia ou impedimento do presidente.

A posse está prevista para ocorrer no dia 2 de novembro, durante o Congresso Nacional da Arbitragem que será realizado em Santa Catarina.



quarta-feira, 11 de julho de 2018


Eleições da ANAF

Rachada, entidade nacional dos árbitros elege no próximo dia 30 sua nova diretoria


A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) passará por eleição no próximo dia 30 de julho. Na ultima segunda-feira (9) foi divulgado o edital de convocação e calendário das eleições na seguinte ordem:

De 09 a 16/07/2018) registro das chapas.

Dia 18/07/2018) reunião da comissão eleitoral para homologação das chapas.

Dia 20/07/2018) reunião da comissão eleitoral para envio das cédulas e distribuição dos crachás aos fiscais.

Dia 23/07/2018) divulgação do colégio eleitoral.

Dia 30/07/2018) eleições que ocorre das 17h às 21hs nas sedes dos sindicatos de todo país sendo permitido o voto em trânsito.

Obs. Apuração será realizada após o encerramento das urnas, nos locais de votação, mas não foi divulgado ainda o dia da posse da diretoria eleita.

Pelo apurado, até o presente momento, o pleito deverá ocorrer com chapa única liderada pelo pernambucano Salmo Valentim da Silva que ocupou o cargo de diretor tesoureiro nos dois mandatos da atual diretoria. Como já anunciou, Valentim terá o baiano Arilson Bispo da Anunciação (tesoureiro) e possivelmente o paulista Arthur Alves Junior (secretario geral) na diretoria executiva.

Os outros cinco cargos mais importantes (vices-regionais) ainda estão sendo politicamente negociados, mas devem vir de estados como Santa Catarina, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Ceará e Pará. O detalhe é que estatutariamente, o indicado com mais idade entre os cinco, será o vice que assume em caso de vacância na presidência.

Também ainda na mesa de negociações os seis cargos no conselho fiscal.

A eleição acontece no pior momento desde que a atual diretoria assumiu a entidade em 2010. Há um profundo racha entre os dirigentes que discutem os cargos. Outro descontentamento vem dos árbitros com a direção da ANAF que será reproduzido no colégio eleitoral que não deverá ter mais que 10% do quadro total de votos dos associados (algo próximo de 600) devido à pendencias financeiras.

O cenário é o pior possível, árbitros com saldos devedores nas contribuições sindicais que envolvem a anuidade e os 5% das taxas dos jogos de quase cinco mil reais e sindicatos com soma próxima dos quinze mil sob o principal argumento que não recebem nada em troca das contribuições.

Salmo Valentim (camiseta) e Marco Martins

No próximo post sobre o assunto, já com os eleitos definidos, farei um balanço da atual gestão e o que esperar da próxima diretoria.

Aos árbitros com direito a voto peço que compareçam aos locais de votação e depositem seus votos nas urnas, pois é muito importante que exerçam o direito de escolherem seus representantes, independente de ser chapa única ou não. O importante é fortalecer a entidade que te representa, pois os dirigentes são transitórios e podem ser trocados a qualquer momento sob sua vontade e você é o único que pode fazer isso estando em dia com seus direitos e deveres estatutários.

Não fique só esperando que sua entidade faça algo por você, mas comece você a fazer por ela participando ativamente com seu voto e depois exercendo sua cidadania apoiando e cobrando quando necessário para que ela não só faça por você, mas que te represente dignamente como você espera e merece.

Ser a pedra que quebra a vidraça é fácil, mais nem isso você será estando à margem, pois não terá o direito de participar dando seu apoio com suas ideias ou cobrando com suas reivindicações.

Boa eleição para todos e caso mais que uma chapa seja inscrita, que vença a melhor conforme as propostas e a vontade das urnas.

Veja abaixo edital de convocação.

terça-feira, 26 de junho de 2018


2ª Turma do STF aproveita o ‘Pão e Circo’ e liberta Mensaleiro José Dirceu


Enquanto a Copa da Rússia toma toda atenção do povo que se preocupa somente com o cabelo e as simulações de Neymar, a 2ª Turma de mensaleiros PeTistas transvestidos com toga infiltrados no STF (Supremo Tribunal Federal), se aproveitam do Pão e Circo* dado ao povo para agirem sorrateiramente defendendo os interesses da quadrilha que tomou de assalto esse país.

Hoje, 26 de junho, soltaram mais uma vez o bandido José Dirceu, condenado a mais de 30 anos de prisão por diversos crimes contra o povo Brasileiro. Apesar da resistência de Edson Fachin durante a sessão desta terça-feira na corte, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes agiram mais uma vez de forma orquestrada e descaradamente sem temer a nada como tem sido recorrente para livrar Lula e sua trupe da cadeia.

Alegando problemas na fixação da pena do mensaleiro José Dirceu, Toffoli votou por conceder uma habeas corpus “de ofício” para o ex-ministro, ou seja, libertar o petista através de um habeas corpus que nem foi apresentado pela defesa. Como foi acompanhado pela escória do STF Gilmar e Lewandowski, Dirceu foi libertado não porque há duvidas se ele é bandido, mas quanto tempo este bandido deve ficar na cadeia.

Pode um negocio desse! O povo, esse que só se preocupa com 'Pão e Circo', deveria aproveitar e usar nariz de palhaço para combinar com o circo que ele vive.

Essa quadrilha não têm limites e ninguém que os detenhas, pois estão enraizados em todos os setores da sociedade, especialmente do poder. Para esses maus Brasileiros de toga, a lei é como uma cerca de arame farpado, se for baixa eles passam por cima e se for alta, eles passam por baixo.


Enquanto isso, o povo só se preocupa com a cerveja e o churrasco para o jogo do Brasil amanhã na Copa, completando o circulo do ‘Pão e Circo’ como nos tempos romanos.

*A política do Pão e Circo como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. A plebe (povo) era sustentada pelo pão (bolsa família...) distribuído pelo Estado e divertida pelos jogos de gladiadores apresentados nos anfiteatros (Copa) para que assim não tivessem tempo livre para pensar em revoltas contra os Imperadores, pois não tinham interesses em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.

“Quanto mais instruído o povo, tanto mais difícil de o governar” Provérbio Taoista.


sexta-feira, 15 de junho de 2018


Semifinal da Copa do Nordeste sem árbitros do nordeste


Árbitros e dirigentes acusam CBF de boicote por conta da ‘Operação Cartola’ na Paraíba

Antônio Dib (foto: Fábio Lima/cidadeverde.com)

A CBF sorteou na ultima quinta-feira (14) os árbitros para duas partidas semifinais da Copa do Nordeste e para dez jogos da 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Nos doze jogos, nenhum árbitro do Nordeste foi escalado, fato que gerou gritaria em todos daquela região, incluindo árbitros e dirigentes.

O gaúcho Anderson Daronco comanda Sampaio Correa e ABC-RN na próxima terça-feira (19) no Castelão, no Maranhão. Já Ricardo Marques Ribeiro de Minas Gerais apita Ceará e Bahia, na quinta (21), na Arena Castelão, em Fortaleza-CE.

Escala semifinal Copa do Nordeste 2018 - Foto reprodução CBF

Em um primeiro momento houve a informação que o boicote seria por conta de veto dos clubes, mas foi desmentido pela equipe do Ceará que divulgou não ter vetado nenhum árbitro para seu jogo contra o Bahia.

Após estas informações, alguns árbitros e dirigentes estão dizendo nas redes sociais que o boicote da CBF para com os profissionais daquela região é por conta dos problemas com os árbitros da Paraíba que estão afastados das escalas da entidade devido as investigações da ‘Operação Cartola’.

Procurada, a comissão de arbitragem da CBF informou que os árbitros que estão disponíveis estão sendo escalados normalmente e que não vai comentar sobre os critérios das escalas.

Nota do Blog

Primeiramente quero deixar bem claro que entendo que a Copa do Nordeste deveria ser arbitrada exclusivamente por árbitros do nordeste, independentemente das qualidades técnicas, até mesmo porque o nível dos clubes se equipara a da arbitragem local. Mas lamentavelmente, por diversos motivos, não é o que ocorre.

Antonio Magno Lima Cordeiro (Foto: JL Rosa)

Por outro lado, observando as possibilidades de escalas, os clubes envolvidos na decisão, as recentes denúncias envolvendo três estados da região e o histórico anterior de problemas judiciais entre clubes e árbitros e sendo bem pratico, faltam opções à comissão de arbitragem da CBF.

Abaixo os fatos que me levaram a essa conclusão.

A CNA não tem a disposição os árbitros de Alagoas, Paraíba e Sergipe, pelos motivos que todos conhecem, ou seja, investigação da operação Cartola. Árbitros do Maranhão, Rio Grande do Norte, Ceará e Bahia estão fora por clubes do estado estar envolvidos na decisão. Por exclusão sobram os apitadores de Pernambuco e Piaui.

Da redação: Isso se não for levado em consideração o processo que o árbitro Péricles Bassols, do Rio de Janeiro, que atua por Pernambuco, tem contra o presidente do Ceará.

Cada árbitro, cada dirigente, tem seus argumentos, uns bairristas, outros raivosos e sem autocritica, mas friamente analisando, a arbitragem e não é só a nordestina, passa por uma crise profunda, principalmente de valores, de mão de obra qualificada.

Esse cenário não tende a mudar na região enquanto dirigentes retrógrados estiverem no poder e enquanto os árbitros e seus lideres sindicais aceitarem tudo caladamente, especialmente a importação de árbitros de outros estados para os jogos mais importantes e finais dos regionais. Sem apitar esses jogos importantes, árbitros não são revelados e consequentemente não se firmam no cenário nacional.

Arbitragem da Copa do Nordeste 2017 - Crédito: Gazeta Press

Na verdade nem tem do que reclamar, pois as finais da maioria dos estaduais foram arbitradas por árbitros do centro-oeste-sul do país e nada mais justo que o campeonato mais importante da região, a Copa do Nordeste, também o seja!

Querem árbitros da região apitando os principais jogos, então invistam, revelem, escalem seus árbitros nos principais jogos do estado e aí terão o que cobrar. Fora isso é choro de incompetentes sem argumentos!

quinta-feira, 24 de maio de 2018


Segue o Jogo! 

Ex-assistente FIFA lança livro que conta os 100 anos da Arbitragem Brasileira


O ex-árbitro assistente FIFA Teodoro Castro Lino, recebeu na ultima terça-feira (22), na Livraria da Travessa, no Barra Shoppping, no Bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro – RJ, amigos, convidados e o publico em geral para um bate-papo descontraído e noite de autógrafos no lançamento do livro “Segue o Jogo! – 100 anos da Arbitragem Brasileira de Futebol”.

Craque com as palavras e exímio contador de histórias pitorescas, apresenta a trajetória e faz uma justa homenagem na publicação aos principais apitadores e assistentes brasileiros em todos os tempos. Com prefácio assinado por Sergio Corrêa da Silva, Chefe do Departamento de Arbitragem da CBF, traz ainda depoimentos na contracapa de Arnaldo Cezar Coelho, Alex Escobar e Galvão Bueno.

Na obra de 102 páginas, o ex-FIFA e agora escritor, apresenta fatos desconhecidos, lembra de acontecimentos inusitados, narra casos pitorescos e conta histórias muito interessantes de dentro das quatro linhas. Essa obra, certamente, será um marco pelos justos e adequados critérios adotados pelo autor, para registrar o centenário da arbitragem brasileira.



Teodoro que foi árbitro internacional por cinco temporadas (92/97), é autor de outros dois livros “O Futebol Através dos Tempos” e “O Outro Lado do Futebol”, além de membro da Academia Goianiense de Letras.

Varia personalidades estiveram presente no lançamento, entre eles os ex-árbitros FIFA Carlos Eugenio Simon e Dacildo Mourão, listados no livro, o arbitro carioca Luís Antônio Silva Santos e os ex-assistentes FIFA Paulo Jorge Alves e Hilton Rodrigues Moutinho. Também presentes no evento os jornalistas esportivos Alex Escobar (Globo) Fabio Azevedo (Fox), Mauricio Menezes (Tupi) além do escritor Marcelo Migueres autor dos livros Caiu na aérea é pênalti, Caiu na rede é pênalti: Histórias pitorescas de árbitros de futebol e Copa do Brasil – Kabure, Cicero Ramalho e outra Historias.

Paulo Jorge, Carlos Simon, Alex Escobar, Teodoro Castro e Marcelo Migueres

Paulo Jorge, Teodoro Castro, Carlos Simon, Hilton Moutinho, Dacildo Mourão 


Com preço sugerido de R$ 29,90 (livro) e R$ 19,00 (e-book) pode ser encontrado na livraria Loja Boneker (clique aqui).