Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020


Perguntar não ofende!
Vice do SAFESP desrespeita Regimento Eleitoral e Estatuto da entidade e mandato pode ser cassado

Na ocasião da sua candidatura às eleições do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (SAFESP), Regildenia de Holanda Moura, candidata a vice-presidência pela chapa ‘O Safesp é dos árbitros’, protocolou pedido de dispensa por tempo indeterminado das escalas no futebol profissional e desde então passou atuar no futebol feminino – que ela classifica como amador mesmo com todas as jogadoras recebendo para jogar e com estrutura de profissional - e nas categorias de base.

Após aposentadoria como árbitra no final do ano passado, onde merecidamente recebeu homenagens pela brilhante carreira no apito, passou a atuar como instrutora de arbitragem da Conmebol e menos de um mês após a posse como dirigente sindical, Regildenia atuou como analista de campo no futebol profissional, na partida Portuguesa Santista 0x0 Capivariano, pelo Campeonato Paulista, Série A2, partida disputada no último domingo (26)  no estadio Ulrico Mursa, em Santos. A escala é um claro desrespeito ao estatuto do Safesp e total descumprimento da palavra dada aos associados que a elegeram juntamente com sua diretoria (veja escala abaixo).
Escala FPF - Crédito: Reprodução site FPF/Divulgação

Regildenia disse ao Blog que precisa trabalhar, pois tem contas para pagar e que apenas o presidente e o tesoureiro recebem pró-labore (cerca de 7 mil reais mensal). Respeito, mas não concordo, pois a vice estava ciente dos impeditivos do regimento eleitoral, tanto é que protocolou documento pedindo afastamento das escalas na FPF.

Em meu entendimento, à época, a comissão eleitoral deveria ter exigido documentos legais que ambos iriam cumprir o artigo 5° do Regimento Eleitoral, porém, a presidente da CE, Rita de Cássia (ex Spironelli) e conhecida como "primeira dama da várzea" preferiu não ter esse cuidado de preservar os direitos da entidade.

É fato consumado que Regildenia atuou no profissional, o que é proibido pelo estatuto através do seu Regimento Eleitoral aprovado pelos associados, contradizendo tudo o que ela e os demais integrantes da chapa pregaram na campanha eleitoral e, portanto, o mandato dela e consequentemente da atual diretoria pode ser questionado na justiça correndo sérios riscos de ser cassado.

O Art. 5º do Regimento Eleitoral de 2004 é bem claro quando diz "serão inelegíveis e não poderão permanecer no exercício de cargo eletivo os associados que: C) estar em atividade no futebol profissional" (veja abaixo).

E você associado, vai aceitar? Você que votou acreditando em mudanças e nas promessas dos atuais dirigentes ou vai exigir por escrito que Aurélio e Regildenia não trabalhem no futebol ou em nenhum cargo ou categoria? Ou vai usar um belo nariz de palhaço?

Na verdade, acho que o associado que votou nesta diretoria e ainda não tem, deveria com urgência providenciar nariz de palhaço, pois você vai precisar. Esse compromisso publico com assinatura não cumprido pela vice foi apenas o primeiro assunto abordado dos muitos que virão pela frente. Ainda vamos falar sobre outros assuntos relacionados como a administração do site, promessas de campanha não cumpridas como redução da anuidade, cursos entre outros.

Você acreditou mesmo no: “SAFESP é dos árbitros”? Se é dos árbitros então me responde porque só você paga e eles recebem pro-labore altíssimo. Se é dos árbitros porque você tem que batalhar escalas enquanto eles têm escalas garantidas, regalias e proteção da FPF?

Pronto! Perguntei! Espero não ter ofendido!

Pedido de afastamento protocolado na FPF - Crédito: Reprodução Instagram/Divulgação

Nenhum comentário: