Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Associação de árbitros de Sergipe faz média com secretaria de Sérgio Corrêa

Turma 2011 do curso de arbitragem leva o nome de Helenice da Rocha Oliveira (ao lado).

A Associação de Árbitros de Sergipe está homenageando a secretaria do manda chuva da arbitragem Brasileira Sergio Corrêa, ela dará o nome para a turma que esta fazendo o Curso de Árbitros de 2011.

Em primeiro lugar, a associação pode homenagear quem ela quiser e só deve explicações aos seus associados, se é que deve! Mas é no mínimo estranha essa homenagem para não dizer que a intenção é outra. Será que em Sergipe não exista alguém que mereça mais a homenagem que essa senhora que reside tão distante do local onde se realiza o curso?

Em segundo lugar, a pergunta que fica é se esse curso tem alguma validade, segundo Marco Martins, Presidente da Anaf, a associação não tem nenhum vinculo com a entidade e, portanto não representa a arbitragem sergipana a nível Nacional.

Não é de se estranhar que em um estado onde o futebol é falido e a arbitragem é capenga, os dirigentes tenham que se sujeitar ao beija mão para ter um pouco de visibilidade. A situação poderia ser bem diferente com as equipes disputando os principais campeonatos do Brasil e os árbitros ostentando escudos da Fifa e apitando os principais jogos. Estamos na 18ª rodada do Campeonato Brasileiro e até o presente momento, somente uma partida foi apitada por árbitro Sergipano, o Estado de Alagoas que vive o mesmo dilema e nos mesmos patamares, já teve cinco partidas apitadas por árbitro daquele Estado.

Mas o cenário não deve mudar tão cedo, enquanto permanecer dirigentes retrógrados na Federação e na Associação de árbitros, que se sujeitem a cenas deprimente como este beija mão, o estado conviverá nesta penúria, onde a luta será pelas migalhas e pela sobrevivência e não por melhorias que beneficiariam a todos. Enquanto só se preocuparem em acionar na justiça aqueles que usam a democracia deste país para denunciar essas mazelas e mostrar o estado caótico em que se encontra a arbitragem local, estarão enganado a sí mesmos, pois podem calar alguns por algum tempo, mas certamente não calarão todos o tempo todo!

Caiu o muro de Berlin, caíram ditadores no oriente médio, porém o câncer que corrói as estruturas permanecem intactos em Sergipe. Este câncer conta com a conivência dos apitadores, uma classe inteira que se deixa dominar por senhores boçais que aproveitam de suas covardias para se perpetuarem no poder.

Esse medo e essa covardia esta custando caro, uma geração foi perdida, desde Sidrack Marinho, nenhum árbitro despontou no cenário Nacional, a futura geração também esta fadada a este mesmo fracasso, pois nasceu e esta sendo treinada em um ambiente arcaico, sem recursos, onde predomina o medo, a ignorância, a falta de lideres e até mesmo de mártires. Parodiando a frase do presidente americano John Kennedy: “Não pergunte o que a arbitragem pode fazer por você, mais sim o que você pode fazer pela arbitragem”.

Os árbitros que se acovardam são como aqueles cachorros bravos que com o portão fechado mete medo, late alto e quer morder de qualquer maneira, porém, quando abrem o portão, ele coloca o rabo entre as pernas e corre para chorar de medo por entre as pernas do seu dono. Está faltando pernas em Sergipe, pois a quantidade de cachorrinhos é enorme!

Segundo matéria no site da associação, a turma do curso de formação de árbitros 2011, cuja aula inaugural aconteceu no ultimo sábado, dia 13, será batizada de Helenice da Rocha Oliveira e que a homenageada tem uma bonita história de dedicação à arbitragem nacional.

Mas que historia é essa? Ela fez durante esses anos o trabalho dela de forma voluntária? Ela doou parte dos seus vencimentos para alguma casa de caridade ou coisa do gênero?

Segundo declarou o presidente da associação que esta fazendo essa média em forma de homenagem “Helenice tem o respeito de todos os árbitros brasileiros. Nós, sergipanos, temos uma gratidão muito grande pelo incentivo que sempre nos deu nos momentos difíceis, sempre levantando nossa auto-estima, uma verdadeira mãezona”, recorda Ivaney Alves Lima.

De acordo com Ivaney, a escolha do nome de Helenice para a segunda turma da Escola de Arbitragem José Carivaldo de Souza foi aprovada por unanimidade pela diretoria da AAPF/SE, além de muito aplaudida pela CBF. “Homenagens devem ser feitas enquanto a pessoa é viva, para que possa sentir a emoção de ser lembrada e reconhecida”, justifica ele.

E que por ainda estar viva, possa de alguma maneira retribuir o gesto tão bonito e sem intenção alguma. Me engana que eu gosto!

Frase: "Os aduladores são como as plantas parasitas que abraçam o tronco e ramos de uma árvore para melhor a aproveitar e consumir". (Marquês de Maricá)

3 comentários:

Sergipano disse...

Essa é uma picaretagem das grandes. Ivaney tenha vergonha, ou se não, na próxima turma você coloque o nome do Sérgio, e assuma logo o papel de descarado que és. Você envergonha Sergipe.

PAULO LIRA disse...

É por essa e outras que sou fã do Apito Nacional.

Matéria nota 10 !!!

Parbéns Marçal.

Um dia eu chego lá... Quando crescer quero escrever igual a você... kkkkkkkk Abraço do amigo PL

Marçal disse...

Prezado amigo PL, obrigado pelos elogios. Você sabe o quanto me custa tudo isso, mas prefiro viver correndo riscos a me acovardar em situações como essa. Posso pecar pela ação, mas jamais pela omissão e pela covardia.

Hoje posso dizer que tenho poucos amigos como você, mas pelo menos essas amizades são verdadeiras, e felizmente não preciso homenagear nenhum desses amigos para ter respeito e a atenção deles.

Um forte abraço

Marçal