Pesquisar este blog

sexta-feira, 12 de novembro de 2021

DEMITIDO!

CBF demite Leonardo Gaciba da presidência da comissão nacional de arbitragem

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), demitiu Leonardo Gaciba da presidência da Comissão Nacional de Arbitragem. A entidade ainda não se pronunciou oficialmente, mas segundo informações, o vice-presidente, Alicio Pena Junior, assume o cargo até o final deste ano.

A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira (12) pelo presidente interino da entidade, Ednaldo Rodrigues, que está em São Paulo, onde acompanhou ontem a noite, a partida da Seleção Brasileira contra a Colômbia, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Gaciba vinha sendo literalmente fritado pelos erros da arbitragem rodada após rodada e não era mais novidade para ninguém sua substituição no final do ano, mas erros em jogos do Flamengo contra a Chapecoense e Bahia tornou sua permanência no cargo insustentável. Fora os erros da arbitragem, o agora ex-dirigente perdeu o comando de sua equipe e de superiores ao realizar politicamente as escalas.

Nos bastidores, a forte rumores de discussões acaloradas com Sergio Corrêa, por conta de Gaciba jogar os erros nas costas do VAR e com Alicio Pena Junior, por conta deste discordar das mudanças de postura do chefe.

A volta de Corrêa ou a efetivação de Alicio não foram descartadas - Crédito: CBF

Gaciba estava no cargo desde 2019 e foi contratado por Rogério Caboclo para modernizar a arbitragem, mas pelo trabalho realizado, este Blog entende que a gestão Gaciba foi um fracasso, resistiu até mais que o esperado e chega ao fim sem ter deixado nenhum legado.

Segundo ainda informações, o atual presidente Ednaldo Rodrigues busca um substituto para aprofundar a reformulação da comissão a partir de janeiro. Mas não será surpresa se Alicio, que vem sendo preparado faz tempo e é o queridinho de Sérgio Corrêa, ser efetivado no cargo. Também não será surpresa uma possível volta de Sérgio, para ocupar o cargo no sistema que foi oferecido a Arnaldo Cezar Coelho antes de Gaciba assumir.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Acordão entre dirigentes da Federação Baiana e sindicato antecipa eleição no SINBAF

Em pé de guerra na FBF, Ricardo Nonato e Ednaldo Rodrigues unidos contra Garrido

Atualmente, vinte e sete dos vinte e sete sindicatos e entidades sindicais da arbitragem brasileira tem algum tipo de irregularidades, seja ela de ordem eleitoral, dividas, prestação de contas, tributos não pagos, diretores e associados irregulares entre outras. A situação que já era caótica, se tornou um caos com a chegada da pandemia do coronavírus que jogou a ultima pá de cal nas entidades que ainda resistiam. hoje, essas entidades, que na verdade são associações, pois, com raríssimas exceções, não contam com carta sindical (cinco), são deficitárias e totalmente dependentes das federações, a quem tem que ser subservientes de alguma forma caso queiram subsistir.

Tem entidades que foram tomadas de posse pelos dirigentes como se fosse sua, não fazem eleição, inexiste prestação de contas e a presidência é cargo hereditário como propriedades feudais dirigidas com mão de obra servil. Não que seja exclusividade, mas na região Norte/Nordeste, 99% delas tem donos e eles não largam o osso.

Tem uma dessas entidade, se assim podemos chamar, no lindo e acolhedor nordeste brasileiro, que fazia recibo de contribuições e das taxas pagas aos árbitros com caneta ou a lápis em papel de pão. Para não ser taxado de preconceito de misoginia contra o povo nordestino, tem outra, na região sul do país, que em sua prestação de contas consta nota fiscal de cerca de 2 mil reais de uma loja de calcinhas, item que, pelo que se sabe, não é usado como uniforme da categoria. 

Outra entidade, também no nordeste brasileiro, que recentemente renovou mandato da sua diretoria, teve comparecimento às urnas de apenas dois associados para votar, que no caso especifico, são namorados e, pra ser justo, não posso deixar de citar outra no sudeste que fechou as portas demitindo funcionarias forcando um acordo sem pagar corretamente direitos trabalhistas e olha que esta entidade, até pouco tempo atrás, contava com cerca de 400 mil reais nos caixas.

Até mesmo a entidade nacional, a ANAF – Associação Nacional dos Árbitros de Futebol -, que hoje completa 24 anos de fundação sem ter saído da barra da saia da sua progenitora, a CBF, de onde vem sua principal verba para existir, cerca de 500 mil garantidos no orçamento anual, tem suas irregularidades, basta ler ou ouvir as promessas, até aqui não concretizadas, do atual presidente, Salmo Valentim, quando em campanha.

Este preambulo introdutório, além de expor a situação vexatória das entidades de classe e expertises dos dirigentes que, com raríssimas exceções, usam essas entidades para projetos pessoais, é para trazer a público um fato recente e surreal, a renúncia da renúncia do ex e agora atual presidente do sindicato baiano dos árbitros de futebol (SINBAF), Manoel Nunes Lopo Garrido.

Como noticiado por est Blog no ano passado (leia), Manoel Nunes Lopo Garrido, então presidente eleito com mandato até 2022, por motivo pessoal, renunciou ao cargo em agosto de 2020, com seu vice, Raimundo Carneiro assumindo o comando da entidade. Como uma Fênix da mitologia grega, Garrido renasceu das cinzas, no cargo de presidente convocando a categoria para assembleia geral, que se realizara  logo mais a noite desta segunda-feira (25), para deliberar sobre antecipação das eleições que deveria ocorrer somente no final de 2022 (veja documento abaixo).



Suposto documento, sem assinatura, do afastamento de Garrido

Acordão

Segundo fontes na Bahia, a antecipação da eleição no sindicato teria ocorrido após um suposto acordão que teria envolvido Ricardo Nonato e Manfredo Lessa, presidente e vice respectivamente da FBF, Jaílson Macedo Freitas e Vidal Cordeiro da CEAF local e Raimundo Carneiro do Sindicato. Pelo acordo, a FBF voltaria a dar apoio, inclusive financeira assumindo todas as dívidas – cerca de 20 mil reais -, retiraria o veto à participação de árbitros nas partidas amadoras da entidade sindical e como contrapartida exigiu que não houvesse qualquer vínculo com os ex-presidentes Arilson Bispo e Manoel Garrido e a inclusão de Jomar Maia, para ocupar o cargo de vice-presidente da futura diretoria encabeçada por Raimundo Oliveira Carneiro.

Sobre Jomar Maia: O Blog apurou que Jomar Maia, seria uma indicação da CEAF-BA, com carta branca para escolher os demais membros da diretoria e seria o principal administrador da entidade. Jomar é ex-árbitro CBF, e administra empresa de arbitragem que detém cerca de 80%  dos jogos amadores e da várzea na Capital Salvador.

Sobre a antecipação da eleição: O estatuto de 2014 do Sinbaf, registrado no Cartório Santos Silva, 2º Oficio de Registros de Títulos e Documentos da Pessoa Jurídica de Salvador, salvo atualizações posteriores, no capitulo 5, que trata da perda de mandato, não trás qualquer referência em caso de renuncia ou pedido de afastamento de membros da diretoria.

Veja trechos do documento abaixo.

O Blog falou rapidamente via whatsapp com Manoel Garrido, que visivelmente incomodado e desta vez de forma pouco educada, talvez com vergonha pelo rombo de cerca de 20 mil reais que sua administração teria deixado nos cofres da entidade, que aliás ele mesmo confirmou em matéria anterior a este Blog, desconversou, tentou desqualificar a fonte das informações contidas neste post e o trabalho do Blog.

O Blog não conseguiu falar com Raimundo Carneiro, mas segundo uma fonte próxima ao vice-presidente, devido ao imbróglio de renúncia ou afastamento do presidente, não se sente mandatário com autoridade o suficiente para colocar suas ideias em pratica. Segundo ainda esta fonte, Carneiro vinha tentando de todas as formas apaziguar as divergências e trazer de volta o apoio da Federação Bahiana ao sindicato, mas que por conta da rejeição aos nomes de Arilson e Garrido por parte de dirigentes da FBF, que não aceitam sequer ouvir estes nomes, tem tornado impossível qualquer avanço no sentido de pacificar o clima e assim administrar a entidade com seus diversos problemas. Por fim, a fonte confirmou as reuniões entre os dirigentes das duas entidades e que Raimundo Carneiro não vê outra saída a não ser a antecipação das eleições como sugerido pela FBF encerrando de vez a catastrófica administração Garrido, que aliás ele também faz parte.

Atualizado 25/10/2021 às 19:25hs

Após a publicação deste post, o Blog recebeu documento abaixo onde Manoel Nunes Lopo Garrido, presidente do SINBAF, comprova o pedido de afastamento em 25 de agosto de 2020. A cópia do documento anterior e sem assinatura enviado ao Blog, constava a data de 14 de agosto de 2020.

A apresentação do documento, mesmo que tardiamente e sem motivo aparente, torna valido a convocação da assembleia e as deliberações nela inseridas. Porém, não invalida a péssima administração e o prejuízo causado a entidade que, até o presente momento não foi devidamente explicado.

O documento esta registrado no 7º Tabelionato de Notas de Salvador, que fica localizado na rua da Mouraria, 34, no Bairro de Nazaré. O documento é de fé publica e pode ser comprovado por qualquer pessoa, desde que pague as custas exigidas pelo cartório.

O Blog não conseguiu falar com os demais dirigentes citados no post, mas o espaço está aberto caso algum deles queira se pronunciar.

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

Marielson ‘Papa Léguas’ com um pé na FIFA

Marielson Alves Silva - Crédito: Futebol Bahiano.org

Segundo uma fonte na cidade maravilhosa, Marielson Alves Silva, 39 anos (14/05/1982), também conhecido como ‘Papa Léguas’, por ter saído em desabalada carreira de um jogador do Figueirense, em 2014, será um dos novos integrantes do quadro FIFA a partir da temporada 2022.

Se confirmado a informação, o baiano de Vitória da Conquista, deverá ocupar a vaga do paranaense Rafael Tracci, que deve deixar o quadro internacional. Traci, que atua por Santa Catarina desde 2019, eleito bola de prata como melhor árbitro também em 2019 pelos canais ESPN, não vive um bom ano, tendo atuado apenas em 3 partidas da Série A deste brasileiro, está visivelmente fora de forma e para piorar, não foi aprovado no último teste físico da FIFA.

Coincidentemente, após a ascensão do dirigente Ednaldo Rodrigues na CBF (era vice regional e hoje responde interinamente pela presidência), Marielson caiu de vez nas graças da comissão de arbitragem daquela entidade se tornando elite da elite. Este ano, o conquistense tem sido presença garantida nas principais partidas da Série A do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. 

Fora dos confrontos da elite, só atuou em duas partidas na Série B, mas em jogos envolvendo times que já foram campeões do brasileiro e caíram da Série A para a segunda divisão (Guarani 1x1 Botafogo e Coritiba 0x3 Cruzeiro). Ou seja, partidas com grande presença de mídia, transmitidas pela tv e com repercussão garantida para embasar a indicação.

Marielson sai correndo após levar peitada do jogador Thiago Heleno em 2014 

A ascensão nas escalas nos últimos três anos é impressionante, sem atuar em uma única partida sequer na Série A de 2018 devido a polêmicas no ano anterior, em 2019 o ‘Papa Léguas’, com o perdão do trocadilho, disparou nas escalas, atuou em 23 partidas pela CBF, destas, três pela Série A do Brasileiro. Já em 2020, atuou em outras 23 partidas, só que as da Série A foram bem mais, 15 no total, dessas, oito foram como VAR.

Mas se Marielson correu para trás em todos os sentidos na ocasião em Florianópolis, desta vez corre em passos largos para frente em busca do escudo contando com ajuda já mencionada e escalas em abundância nesta temporada de ouro. 

Ainda falta praticamente um terço das partidas da atual temporada, mas o menino “Papa Léguas” já atuou em 19 partidas, destas, 11 pela Série A, seis pela Copa do Brasil e duas pela Série B e coincidentemente, nenhuma como VAR. Todas partidas escolhidas a dedo para não dar nenhum problema pelo chefe da arbitragem, que luta bravamente para permanecer no cargo e assim agradar o novo chefe na presidência da CBF.

Esse cara sou eu

Marielson formou-se árbitro em 2002, em curso realizado pela UCSal (Universidade Católica do Salvador) em parceria com a Federação Baiana de Futebol, ingressou no quadro da CBF em 2008, mas só veio fazer sua estreia no apito em 2014 (Botafogo 2x4 São Paulo). Fora da arbitragem é funcionário público municipal em Vitória da Conquista, onde nasceu e reside.

Segundo dados do site www.apitonacional.com.br com atuações dos árbitros, até a presente data, Marielson atuou em 51 partidas da Série A do Brasileiro, sendo 29 até 2017, três em 2019, sete em 2020 e as doze desta temporada, já contando a partida entre Corinthians e Fluminense, que será disputada na próxima quarta-feira, em São Paulo.

Marielson "Papa Léguas' - Crédito: Art. Marçal

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Nota de Repúdio!

O Blog do Marçal e seu editor, Marcelo Marçal, se solidarizam com a sociedade, amigos, familiares e a classe jornalística contra a prisão do jornalista Paulo Cézar de Andrade Prado, mais conhecido como Paulinho, proprietário e editor do ‘Blog do Paulinho’, ocorrida na manhã desta terça-feira (28) em São Paulo.

Podemos discordar do posicionamento político e partidário do jornalista e até de suas opiniões, mas não podemos admitir que haja censura no direito de opinar e de denunciar (com provas) e nem que isso seja usado como motivo para o cerceamento da liberdade de qualquer cidadão e principalmente de jornalistas.

Antes um ícone e fonte de inspiração e informações para mim, atualmente discordo de 90% dos comentários e opiniões do jornalista, principalmente na área política, onde apoiou prisões de jornalistas bolsonaristas, em medidas com aparente ilegalidade, assim como alega em sua prisão. Porém, respeito e defenderei até a morte o seu direito de se manifestar e emitir publicamente suas opiniões sem que isso se torne ameaças a sua integridade física e liberdade.

O Blog do Paulinho sempre foi um canal combativo e suas matérias investigativas frutificaram em vários processos e desafetos. Um deles, segundo bastidores, do mandatário da Kalunga, teria sido o motivo da prisão, pela terceira vez do jornalista.

Por uma imprensa livre, consciente, com papel investigativo e informativo, repudiamos a referida prisão.

PAULINHO LIVRE JÁ!


quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Final do Brasileirão Feminino entre Corinthians e Palmeiras terá arbitragem 100% feminina

Fabrini Bevilaqua, Edina Alves e Neuza Back - Cédito: Divulgação/Internet

O Campeonato Brasileiro Feminino de 2021 chega a sua final, que será disputada no próximo domingo (26), na partida em que o Corinthians recebe o Palmeiras na Arena Itaquera, em São Paulo. Na partida de ida, disputada no Allianz, também em São Paulo, o time alvinegro venceu por 1 a 0 e leva vantagem para o duelo final.

Diferentemente do ocorrido no ano passado, quando a CBF utilizou árbitros masculinos nas finais, por, segundo a comissão de arbitragem da entidade, não ter quantidade suficiente de profissionais feminino habilitados no VAR para os jogos, o destaque da decisão deste ano é a designação de arbitragem 100% feminina na partida final.

A arbitragem, todas elas do quadro FIFA, ficara a cargo da Edina Batista Alves, com Neuza Ines Back e Fabrini Bevilaqua Costa de assistentes. 

A quarta árbitra será Adeli Mara Monteiro com Marcela de Almeida Silva atuando de quinto árbitro.

O VAR também será comandado pela ala feminina. Daiane Caroline Muniz dos Santos será a Árbitro de Vídeo com Amanda Pinto Matias de AVAR e Regildenia de Holanda Moura de Observador de VAR. Todas as integrantes da arbitragem da partida atuam em São Paulo.

Primeira árbitra a comandar um jogo profissional masculino da FIFA, Edina Alves Batista, 41 anos, com 22 atuações até aqui, é a mulher com mais jogos apitados em toda a história na Série A do Campeonato Brasileiro. Esteve na Copa do Mundo da França, em 2019, no Mundial de Clubes da FIFA, em 2020 e nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Alicio Pena Jr. - Vice-presidente da CA-CBF - Crédito: CBF

Na partida de ida, o único homem escalado foi Péricles Bassols, que atuou como árbitro de vídeo. As demais designações foram da arbitragem feminina com Thayslane de Melo Costa, de Sergipe, no apito com Leila Naiara Moreira da Cruz, do Distrito Federal e Fernanda Nândrea Gomes Antunes, de Minas Gerais, atuando de assistentes. A paulista Marianna Nanni Batalha atuou de quarto árbitro, Patrícia Carla de Oliveira de quinto arbitro e Regildenia de Holanda Moura de analista de campo.

Como Péricles atuou de VAR, Bárbara Roberta da Costa Loiola, do Pará, atuou de AVAR e Silvia Regina de Oliveira de observador de VAR.

Final 2020

Em 2020, a final foi disputada entre Corinthians e Kindermann, de Santa Catarina. A equipe paulista venceu o confronto final por 4 a 2 e como havia ocorrido empate em 0 a 0 na primeira partida, ficou com o titulo daquele ano. Rodolpho Toski Marques apitou o primeiro jogo e Wilton Pereira Sampaio apitou a final. 

Dos 18 árbitros escalados nos dois jogos, contando arbitragem de campo e VAR, 13 foram da árbitros masculinos. Já nesta temporada, das 17 escalas, 16 pertencem ao quadro feminino.

Na temporada passada critiquei duramente a Comissão de Arbitragem da CBF por não utilizar integrantes do quadro feminino nas finais da principal divisão da categoria e critiquei também as justificativas, relatadas acima, por entender ser indícios de falta de planejamento com a arbitragem feminina. 

Como o equívoco foi corrigido este ano, não seria justo se desta vez não parabenizasse os membros da CA-CBF pelas designações justas e merecidas que entendo serem primordial para a afirmação e o crescimento cada vez mais da categoria.

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Fratura exposta do apito

 O cartão nas mãos de Diego Souza além da desmoralização é uma fratura exposta na arbitragem brasileira

Diego Souza com o cartão que tomou do árbitro - Crédito: Pedro H. Tesch/AGIF 

No ultimo final de semana, na partida Grêmio 0x1 Corinthians, disputada na Arena Grêmio, em Porto Alegre, ocorreu uma cena triste e revoltante, pela passividade do árbitro, que chamou atenção e marcou, mais uma vez, de forma negativa a arbitragem brasileira.

O jogador Diego Souza, do time Gaúcho, literalmente tomou o cartão amarelo das mãos do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, de Minas Gerais, revoltado pelo árbitro ter só advertido o goleiro corintiano Cássio, após este cometer uma falta fora da área. O pior da cena foi ver um arbitro atônito e surpreso com a atitude do jogador não tomar a única medida cabível no momento que seria a expulsão imediata do agressor, porque sim, tomar o cartão das mãos do árbitro foi uma agressão, não só a Ricardo Marques, mais a toda arbitragem brasileira.

Como ato seguinte, na cena cômica e digna de filme pastelão, para não dizer ridícula, Ricardo em vez de expulsar o contumaz indisciplinado, tirou do bolso outro cartão amarelo e mostrou ao jogador, não para puni-lo, mas para mostrar que tinha outro cartão de reserva no bolso, como se já estivesse esperando essa situação (veja abaixo).

Os homens de preto não se dão o devido respeito, não são respeitados como prevê a regra 5 das leis do jogo e na grande maioria não são árbitros, mas sim mediadores que apitam não querendo desagradar nenhum dos clubes e nem a comissão de arbitragem para estarem escalados na próxima rodada.

Após a partida, um dirigente gremista disse em entrevista que Ricardo já deveria estar aposentado, mas após uma cena como essa a sensação que fica é que realmente já está aposentado faz tempo e cumpre as escalas mais preocupado em receber a taxa de arbitragem do que em aplicar a regra com os rigores que a função exige.

Culpa dele? Não! Culpa de quem escala que não preparou alternativas para um arbitro aposentado em atividade que sempre entregou bem menos do que dele se espera para o nível de um arbitro que chegou ao quadro internacional e apitou grandes jogos.

Deixando claro que as críticas são dirigidas ao árbitro e nada pessoal contra Ricardo Marques, uma pessoa educadíssima que sempre me tratou com retidão e como cidadão tem minha admiração e respeito.

sábado, 14 de agosto de 2021

Reeleito na AAPR, Renato Canadinho lança candidatura ao Safesp e aciona atual diretoria no Ministério Público

Canadinho durante votação nesta sexta

Após ser reeleito por aclamação na noite desta sexta-feira (13) como presidente da Associação de Árbitros de Piracicaba e Região (AAPR) para seu segundo e último mandato, já que o estatuto só permite eleição e uma reeleição, Renato Aparecido Fazanaro Canadinho, em carta aberta destinada aos associados e demais interessados, fez um balanço da sua gestão, anunciou que irá trabalhar para ser eleito presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (Safesp) na próxima eleição, e argumentou que é hora da categoria lutar por seus ideais. 

Canadinho ainda disse que com a ausência de líderes independentes, resolveu assumir esse posto e que buscará apoio de todos os árbitros de futebol do Estado, tanto os que atuam no futebol profissional como os que atuam no amador, não só para unir a categoria, mas tornar o sindicato de todos e para todos.

Em sua fala, já como reeleito com mais de 80% dos votos, Canadinho informou a todos que acionou o Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o Safesp, seu presidente, Aurélio Sant'Anna Martins e a vice, Regildenia de Holanda Moura, pois em seu entendimento pessoal, os dois dirigentes não estão cumprindo o Estatuto Social e o Regimento Eleitoral, em vários aspectos, principalmente em relação ao artigo 5° que proíbe candidatar-se ou permanecer no cargo quem esteja com vínculo ou atuando no futebol profissional. 

Veja denuncia abaixo.

Sobre a denuncia, o presidente da AAPR e candidato ao Safesp disse:

“Todos precisam trabalhar, é direito constitucional e necessidade, mas eles precisam escolher, ou trabalhar pelo Safesp, para função que foram eleitos, ou para o futebol. Eles sabiam que ser líder classista é trabalhar pelo coletivo, cuidar de pessoas e infelizmente, estão deixando isso a desejar. A arbitragem paulista precisa recuperar sua autoestima, ter lugar de destaque e isso vem com dedicação, entrega e trabalho. Sou ciente das dificuldades financeiras do nosso Sindicato e isso não será justificativa para deixar de ter ações em prol dos associados. A pandemia atrapalhou, mas muitas entidades tiveram iniciativa para muitas frentes alternativas e nosso Safesp omitiu-se na criatividade do administrar crises, provando um eventual despreparo para o cargo que estão ou priorizando outros objetivos e metas. Quero a confiança de todos os árbitros do Estado, vou mostrar que sou digno desta oportunidade e que juntos deixaremos um legado para as gerações futuras" - disse Canadinho.

Com a fala na carta aberta (abaixo), o dirigente anunciou suas futuras pretensões de forma clara, direta e sem meias palavras.

OPINIÃO DO BLOG

Mesmo entendendo ser o melhor candidato na época da ultima eleição no SAFESP, este Blog foi contra a candidatura de Canadinho por este ter em sua chapa membros da diretoria do então presidente Arthur Alves Junior, pois entendia ser aquele o momento propicio para uma ampla renovação.

Ainda é cedo e pode ocorrer fatos ou aparecer outras alternativas que faça o Blog mudar de opinião, mas na atual conjectura, continua entendendo ser o piracicabano um ótimo candidato que reúne qualidades suficiente de um líder para unir a categoria e agregar apoio para que possa tirar a entidade do ostracismo e do fundo do poço onde se encontra atualmente. Digo isso baseado nas informações de bastidores e nos momentos presenciais em que estive junto com o Canadinho homem e com o dirigente pelos quais faço uma analise de seu caráter, da sua forma de pensar e qualidades para dirigir uma entidade, da qual ainda sou (segundo a lei) associado.

Sei que não é ilegal e que alguns entendem que é administrável, mas como já deixei claro em posts anteriores, baseado no histórico de vários sindicatos, sou contra uma entidade nesse nível ser administrada por um dirigente domiciliado em outro município que não seja o da sede ou de uma região metropolitana, como o caso de São Paulo. Além disso, defendo que o dirigente deva se dedicar integralmente ao sindicato sem dividir seu tempo profissional com qualquer outra atividade e quem não puder disponibilizar seu tempo, que não se candidate e deixe para outro que possa, administrar.

Lembro que, estatutariamente, o Safesp, quando tem recursos em caixa, paga pró-labore no valor de uma taxa FIFA mensal, atualmente próximo dos seis mil reais, ao seu presidente, o que deve ser o suficiente como remuneração pelo seu trabalho.

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Safesp continua fechado! Mas diretoria segue trabalhando!😜

Seria motivador ler essa frase se ela fosse no sentido real das atribuições estatutárias para qual a atual diretoria do Safesp foi eleita e considerando o período da pandemia.

Mas o contexto é outro!

O Safesp continua fechado, em situação de claro abandono administrativo e físico e agora até sem site, que está fora do ar mais uma vez, esperando pela próxima eleição, pois está diretoria conseguiu seu objetivo: ser eleita com o voto de vingança contra Arthur Alves Junior, sua administração e seus comportamentos.

Antes que falem, não estou defendendo Arthur, pois como como manifestei na época das eleições em meus canais, nenhuma das chapas deveria ser eleita e pontuei os motivos, que estão à disposição para quem quiser conferir.

O trabalhando que me referi no título é que os diretores, todos árbitros, assistentes, observadores ou instrutores, continuam prestando serviços às entidades do desporto, ganhando suas justas e merecidas taxas pelos trabalhos realizados.

A grande notícia é que o Dr. Aurélio Sant'Anna Martins, o suposto presidente, volta a aparecer nas escalas da Federação Paulista de Futebol como Analista Estagiário (veja escala no print abaixo). Segundo fui informado por uma pessoa ligada a Comissão de Arbitragem da FPF, o estágio faz parte do curso em que ele está participando junto aquela entidade e cuja matéria sobre este curso estamos preparando para ser divulgada em breve.

Aurélio Sant'Anna irá analisar, em alguns momentos, associados do Safesp, assim como já faz sua vice Regildenia de Holanda, o que é incorrendo em minha opinião, principalmente pela falta de ética, pois como líderes sindicais é papel deles, defender o árbitro e não julgar.

Nada de pessoal ou contra o trabalho dos membros da diretoria, pelo contrário, sou ferrenho defensor, mas é preciso que escolham o lado do muro que queiram frequentar, pois não dá para ficar em cima, ora do lado do patrão, ora do lado do árbitro conforme suas conveniências ou subserviência.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Direito de arena do árbitro e a derrota amarga do exército sem soldados

Crédito: arquivo pessoal

Quem é da arbitragem ou acompanha as notícias da categoria tomou conhecimento que a Câmara dos Deputados votou na última quarta-feira (14), o Projeto de Lei 2336/2021, que ficou conhecido como Lei do Mandante, com importantes alterações na Lei Pelé (Lei 9.615) aprovada em 24 de março de 1998.

O PL original proposto pelo Governo Federal, previa mudanças no art. 42ª da lei em vigor. Para a arbitragem, a mudança mais importante, reinvindicação histórica e buscada a décadas pela categoria, previa no § 2º a divisão dos cinco por cento dos direitos desportivos, conhecido como direito de arena, em partes iguais entre jogadores, árbitros de campo e treinadores. Ou seja, 1,66% dos direitos da partida seriam destinados aos árbitros.

Mas uma Emenda Supressiva, proposta pelo Deputado Federal do PSB de Pernambuco, Felipe Carreras (contato do Deputado), foi aprovada retirando o paragrafo que dividiria os 5% mantendo a lei sem essa alteração e o direito de arena permanecendo somente para jogadores.

Apesar das denuncias de desvio de dinheiro e enriquecimento ilícito contra seu presidente, Rinaldo Martorelli, o Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (Sapesp), foi a principal fonte do lobby feito junto aos Deputados para a lei referente ao direito de arena não fosse alterada.

Aqui cabe uma ressalva: Os sindicatos dos atletas são responsáveis pela intermediação do direito de arena. Uma parte do dinheiro do futebol (5%), não passa pelo caixa dos clubes e federações sendo repassados diretamente para os sindicatos, que se responsabilizam por distribuir aos jogadores.

Segundo informações, por conta desse direito, o Sindicato dos atletas de São Paulo movimenta quantias milionárias. A entidade – que mal conseguia pagar aluguel em 1993 – hoje tem sede própria, paga carro para o presidente e tem saldo de cerca de 50 milhões nos cofres da entidade.

A derrota na votação da última quarta foi a terceira desde a profissionalização de 2013, que até hoje não saiu do papel, passando pelo 0,5% aprovado no Congresso em 2015 e vetado posteriormente pela Presidente Dilma Rousseff, o que só reforça a falta de comprometimento e de mobilização da categoria. Não querendo ser repetitivo para não parecer perseguição, mas  sendo, árbitro não se preocupa com o futuro, a não ser o dele, não se preocupa com a categoria e nem com a profissão, muito menos em construir um legado para deixar para as próximas gerações.

Fora a visita as pressas de Salmo Valentim, presidente da ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol), em fevereiro, acompanhado de três ex-árbitros, aos congressistas e apesar do quadro local da CBF contar com 21 representantes, entre eles o próximo FIFA Sávio Sampaio, que seriam diretamente favorecidos com a aprovação da PL original, não foi notado a presença de nenhum deles nas reuniões. Não posso deixar de mencionar que muito deles trabalham no Congresso, como o próprio Sampaio, e mesmo assim ignoraram o assunto e sequer prestigiaram as visitas com suas presenças.

Comitiva da ANAF em Brasília - Crédito: ANAF

Mas o que esperar de uma categoria onde menos de 10% são associados da entidade de classe, onde estados como São Paulo (63 CBFs) e Rio de Janeiro (52 CBFs) tem apenas um associado cada.

A atual administração tem sido voltada para os árbitros e sindicatos em dia com suas obrigações estatutárias. A diretoria esteve em varias reuniões na sede da CBF que distribuiu cerca de três milhões de reais aos árbitros como auxilio por conta da pandemia da Covid-19 em 2020. por sua vez, a ANAF sorteou dois veículos zero KM no ano passado, vai sortear mais dois esse ano e cinco no próximo ano, totalizando nove carros para os associados. Também sorteou duas passagens aéreas com direito a acompanhante para presidentes de sindicatos, uma na América do Sul e outra para Fernando de Noronha.

Além dos sorteios, a entidade criou o PAS (Plano de Ajuda aos Sindicatos), distribuindo três mil reais no ano passado e distribuirá 3.3 mil este ano como auxilio as entidades estaduais que atenderem os pré-requisitos.

Segundo um documento, não oficial, que o Blog teve acesso, do dia 13 deste mês, a ANAF conta atualmente com 82 associados entre os mais de seiscentos árbitros do quadro nacional. Desses, vinte e três são de Pernambuco, Estado do atual presidente. Depois vem Ceará com nove, Mato Grosso com oito, Alagoas com sete, Paraíba com seis e Amapá com cinco.

Absurdamente, estados como Mato Grosso do Sul, Espirito Santo, Sergipe, Rio Grande do Norte, Tocantins, Rondônia, Acre e Roraima não tem sequer um associado.

Se não podemos esperar nada de uma categoria tão desunida como essa, cujo único interesse é a escala e as taxas, os árbitros também não podem reivindicar e nem cobrar nada de seus representantes, como alias, muitos acham que tem esse direito.

Abaixo quadro com associados da ANAF

sexta-feira, 25 de junho de 2021

O ‘Capo’, traído e traidores no xadrez do lamaçal chamado CBF

Dezesseis diretores da CBF - Confederação Brasileira de Futebol -, entre eles Leonardo Gaciba, da Comissão de Arbitragem, assinaram manifesto em nome da transparência, destinado à Comissão de Ética da entidade, defendendo a manutenção do afastamento do presidente Rogerio Caboclo até as conclusões das investigações de denuncias contra o presidente feitas por uma funcionaria.

Evidente que o afastamento se faz necessário e que tudo seja investigado de forma isenta, livre de pressão e de ‘arapongagem’ como os áudios usados, não só na denúncia feita por uma funcionária, mas outros que vazaram demonstrando ainda mais o imenso lamaçal que vem se transformando a entidade.

Mas as investigações tem que apurar todos os fatos, não só os contra o atual presidente, mas inclusive o que disse Rogério Caboclo em sua defesa, que, pelo que parece, não quer o grupo que assinou o manifesto.

O documento menciona as denuncias de assédio sexual, moral e uso dos cofres da entidade em proveito próprio, se esquecendo da forma supostamente mafiosa na forma de agir de muitos dirigentes, que por lá transitam ou passaram nos últimos anos, colecionando inúmeras amantes, amplamente divulgada na imprensa, com farta distribuição de presentes caros e até mesmo supostos apartamentos como cala boca, fora mordomias e empregos de fachada para ‘damas de companhia’ servindo ao bel-prazeres dos dirigentes. 

Também faz parte do enorme lamaçal os mensalinhos a dirigentes e viagens internacionais com direito a acompanhante de luxo em ocasiões especiais para personalidades importantes da política e até mesmo do judiciário brasileiro.

Certamente muitos desses dezesseis diretores que assinaram o manifesto acima, que o Blog obteve com exclusividade, que não mijam água benta, pelo que tudo indica, sabiam o que vinha ocorrendo nos bastidores a longa data e, possivelmente até fizeram parte e, de alguma forma ou propósito, se calaram quando deveriam denunciar, pois servem ou serviram aos poderosos que os mantém nas abas do chapéu mamando nas tetas da entidade.

Quais os reais interesses deste manifesto? A verdade e a ética certamente não é, pois se fosse teriam agido antes e não agora neste momento oportuno, que os tornam no mínimo coniventes, pra não dizer oportunistas que, caso permaneça Caboclo ou entre outro presidente, terão, ao seu momento, o tratamento devidamente merecido, pois quem trai uma vez, pega o gostinho e sempre será um traidor.

Na história dos ‘Reis’ e presidentes neste mundão afora, tem pessoas que - quando mudam o comando - como moscas que sobrevoam a merda, logo passam para o lado do que assume e atacam o Rei morto ou o antecessor.

Por isto alguns - que são éticos - até duram e os que são oportunistas, o tempo irá demonstrar que podem ter poder, mas não liderança e tem curtíssimo prazo de validade.

O manifesto com certeza é mais uma jogada de xadrez nesse imenso tabuleiro de lamaçal chamado CBF, onde o ‘Capô’ mafioso move as damas e sacrifica seus peões buscando permanecer no poder e dar xeque mate em quem possa se rebelar ou até mesmo ousar ir contra seus propósitos!